O Ciclo de Atividades do Sol esta mudando


O Sol é tão brilhante que muitos nunca o veem. Olhe para ele através dos filtros solares, no entanto, e você verá um disco dourado surpreendentemente pequeno marcado com manchas solares calmas ou proeminências rosa arqueando ao longo de sua borda. Pelo menos, é o que você veria quando o Sol está ativo; um Ciclo de Minimum solar profundo tiveram 274 dias imaculados na superfície solar em 2019, quando o disco do Sol apareceu sempre em branco, sem nenhuma mancha solar.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

O Ciclo de Atividades do Sol esta mudando 

Por Monica Young – Fonte: Sky & Telescope e Spaceweather

O novo Ciclo Solar 25 está aqui, e as previsões sugerem que a próxima década de atividades do Sol irá imitar a última – interrompendo uma tendência de 40 anos.

Agora, podemos novamente esperar um crescente número de manchas solares – para não mencionar as labaredas, as explosões conhecidas como ejeções de massa coronal (CMEs) e o clima espacial correspondente na Terra. Cientistas da NASA e da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) declararam dezembro de 2019 como mínimo solar, marcando o fim do Ciclo 24 e o início do Ciclo 25. Além do mais, eles previram o que a próxima década de atividade solar nos reservará.

Imagens de luz visível da sonda SDO – Solar Dynamics Observatory da NASA destacam a aparência do Sol no mínimo solar (esquerda, dezembro de 2019) versus máximo solar com inúmeras manchas em sua superfície (direita, julho de 2014). NASA

Os CICLOS DE MANCHAS SOLARES

O Sol é uma bola de gases agitados, especialmente hidrogênio em fusão, cujos movimentos constantes são melhor visualizados por telescópios espaciais em luz ultravioleta. Mas séculos antes da Era Espacial, os astrônomos já estavam registrando a ocorrência das manchas solares , regiões onde o campo magnético do Sol atravessa sua superfície visível, prendendo o gás para que pareça escuro contra o disco brilhante. As manchas solares são frequentemente fontes de outra atividade magnética, como Flares [chamas] e CMEs [Coronal Mass Ejection].

O registro de manchas solares mostra um ciclo de 11 anos, à medida que o número de manchas solares aumenta e diminui novamente ao longo desse período. (Na verdade, como os pólos magnéticos do Sol realmente mudam a cada 11 anos, o ciclo completo é de 22 anos.)

Uma espetacular e violenta Coronal Mass Ejection, CME gigantesca emitida pelo sol em 24 de agosto de 2014

Uma infinidade de espaçonaves – mais recentemente, Parker Solar Probe da NASA e Solar Orbiter da Agência Espacial Europeia – estão nos dando uma compreensão cada vez mais detalhada do sol. Mas, como o registro histórico está vinculado às manchas solares, esse é o indicador que organizações como a NASA e a NOAA ainda usam para entender a atividade solar de longo prazo. O World Data Center para o Índice de Manchas Solares e Observações Solares de Longo Prazo atualmente rastreia o número de manchas solares diárias de uma forma padronizada.

“Mantemos um registro detalhado das poucas manchas solares minúsculas que marcam o início e o surgimento de um novo ciclo”, diz o diretor do centro, Frédéric Clette. “Estes são os diminutos arautos dos futuros “fogos de artifício” solares gigantes. É apenas rastreando a tendência geral ao longo de muitos meses que podemos determinar o ponto de inflexão entre dois ciclos ”.

Esses dados formaram a base para o Painel de Previsão do Ciclo Solar 25, um grupo internacional de especialistas que determinou o tempo do mínimo solar e previu o próximo ciclo de atividade. Calculando a média do número de manchas solares ao longo de 13 meses para suavizar a variabilidade da atividade do Sol, o painel determinou que o mínimo solar havia chegado em dezembro de 2019 com um número médio de manchas solares de 1,8.

PREVISÃO DO CICLO 25

O painel também chegou a um consenso sobre as previsões que sugerem que o próximo pico de atividade ocorrerá em julho de 2025, com 115 manchas solares. Essa previsão, embora mais fraca do que a média, é quase exatamente a mesma que realmente ocorreu no Ciclo 24: o número de manchas solares atingiu o pico em abril de 2014 com uma média de 114 manchas solares.

A previsão afeta o planejamento de longo prazo em indústrias de satélites, da aviação à rede elétrica. Tempestades solares extremas podem sobrecarregar transformadores e desligar satélites derrubanco as telecomunicações e sistema de navegação aérea e marítima, mas o clima espacial ainda mais prosaico pode causar danos que se acumulam com o tempo. Por outro lado, a falta de atividade solar significa uma penetração mais fácil dos raios cósmicos galácticos – uma preocupação para passageiros de aviões voando em altas latitudes na Terra.

A previsão sugere que o Ciclo 25 interrompa a tendência de queda da atividade que já ocorria há mais de 40 anos. O ciclo 24 foi o ciclo mais fraco em 100 anos e o quarto mais fraco desde que a numeração regular das manchas solares começou em 1755. Alguns até especularam que o Sol poderia estar se aproximando de um período sem manchas solares, ecoando o Mínimo de Maunder que ocorria anteriormente, a partir de 1645 a 1715. Mas embora o Ciclo 25 provavelmente ainda seja fraco, as previsões contradizem a noção de que estamos caminhando para uma mudança mais profunda na atividade magnética solar.

Uma razão para o ciclo anormalmente fraco do Ciclo 24 é que o comportamento magnético do Sol era estranhamente assimétrico. Como o hemisfério norte do Sol atingiu o pico de atividade de manchas solares dois anos antes do hemisfério sul, o máximo de abril de 2014 teve menos manchas do que teria de outra forma.

ALCANÇANDO CONSENSO

“A previsão do Ciclo 24 veio de uma divisão do painel sobre a previsão”, disse David Hathaway (Universidade de Stanford), um físico solar que estava no painel na época. Inicialmente, esse painel teve que se contentar com duas previsões : um pico de 140 manchas solares em outubro de 2011 ou um pico muito mais fraco de 90 manchas solares em agosto de 2012. No final, o ciclo acabou chegando ao pico muito mais tarde do que o esperado e com uma média, mas ainda mais fraco do que o número médio de manchas solares.

O ciclo 25 é uma história diferente. “O consenso do painel foi rápido e sólido”, disse Doug Biesecker (NOAA), presidente de ambos os painéis.

O ciclo de manchas solares ocorre porque o Sol gira mais rápido em seu equador, que estica as linhas do campo magnético ao redor da superfície solar, transformando um campo poloidal (“barra magnética”) em um campo toroidal (“ao redor do meio”). Por fim, os pólos mudam e o ciclo recomeça. © Addison Wesley

A maior diferença entre os dois painéis e as simulações e previsões que cada um considerou foi uma realização fundamental. “Anteriormente, tratávamos o Sol como uma grande bola de gás”, explica Biesecker. “Mas os hemisférios do Sol se comportam de forma independente.” Monitorar as regiões polares do Sol – especificamente, a força do campo magnético ali – acaba sendo um indicador chave de como o próximo ciclo ocorrerá. Coloque essa informação em modelos baseados na física que descrevem como os campos magnéticos são transportados através do Sol, e de latitudes baixas perto do equador até latitudes altas perto dos pólos.

“O consenso era mais fácil porque havia um bom acordo com os métodos baseados na física”, concorda a co-presidente Lisa Upton (Space Systems Research Corporation). “Os modelos em que temos mais confiança evoluíram significativamente na última década.”

“A rapidez com que a atividade solar aumenta é um indicador de quão forte será o próximo ciclo solar”, disse Doug Biesecker do Centro de Previsão do Clima Espacial da NOAA, co-presidente do Painel de Previsão do Ciclo Solar 25. “Embora tenhamos visto um aumento constante na atividade das manchas solares este ano, está lento.”

Acima: Auroras Boreais provocadas pelo Ciclo Solar 25 fotografadas em 14 de setembro de 2020, por Jani Ylinampa na Finlândia.

O painel acredita que o novo Ciclo Solar 25 será fraco, com pico em 2025 em níveis semelhantes ao antigo Ciclo Solar 24. Se sua previsão estiver correta, o Ciclo Solar 25 (como o Ciclo Solar 24 antes dele) será um dos mais fracos desde a manutenção de registros começou em 1755.

“Embora não estejamos prevendo um Ciclo Solar 25 particularmente ativo, erupções violentas do sol podem ocorrer a qualquer momento”, avisa Biesecker. De fato, até mesmo o Solar Minimum pode produzir uma supertempestade , então o Solar Cycle 25 não deve ser considerado levianamente, apesar das baixas expectativas do painel. Blecautes de rádio, quedas de energia e severas tempestades geomagnéticas são possíveis nos próximos anos.

Por enquanto, a atividade solar deve permanecer geralmente baixa. A contagem de manchas solares ainda tem um longo caminho a percorrer antes de atingir os níveis típicos do máximo solar. Para o resto de 2020, os períodos de silêncio serão ocasionalmente interrompidos por pequenas tempestades solares, com apenas uma pequena chance de grandes eventos.

Pelo lado positivo, as primeiras Luzes do Norte do Ciclo Solar 25 estão dançando ao redor do Círculo Polar Ártico agora, e a próxima temporada de observação da aurora promete ser a melhor dos últimos anos. Fique ligado! 


{Nota de Thoth: O que é uma ejeção de massa coronal ou CME-Coronal Mass Ejection? A ANATOMIA DE UM FLARE SOLAR GIGANTE

Os choques resultantes ondulam através do sistema solar e podem interromper satélites e derrubar e destruir redes elétricas na Terra. Durante um FLARE SOLAR (CME-Coronal Mass Ejection, Ejeção de Massa Coronal do sol), enormes bolhas de gás superaquecido – chamado plasma – são ejetadas do sol. Ao longo de várias horas, bilhões de toneladas de material carregado energeticamente são levantadas da superfície do sol e aceleradas a velocidades superiores a um milhão de milhas por hora.

Isso pode acontecer várias vezes ao dia quando o sol está mais ativo. Durante os períodos mais calmos, as CMEs FLARE SOLAR (CME-Coronal Mass Ejection, Ejeção de Massa Coronal do sol) ocorrem apenas uma vez a cerca de cada cinco dias. O próprio plasma solar é uma nuvem carregada energeticamente de prótons e elétrons levados pelo vento solar.  SAIBA MAIS:

Viajando a um milhão de milhas por hora, a energia liberada por uma ejeção de massa coronal do sol pode atravessar a distância de 93 milhões de milhas para a Terra em apenas alguns dias. Uma aeronave à jato movendo-se tão rápido poderia levá-lo de Los Angeles a Nova York em 18 segundos.}


“E o quarto anjo derramou a sua taça sobre o sol, e foi-lhe permitido que abrasasse os homens com fogo. E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória”.   Apocalipse 16:8,9


Vídeo de uma explosão solar, feito pela sonda STEREO da NASA, no dia 28 de novembro de 2013, que revelou a existência de um imenso objeto já dentro do sistema solar.

“Haverá muitas mudanças dramáticas no clima do planeta, muitas mudanças nas condições meteorológicas  na medida em que o tempo da GRANDE COLHEITAse aproxima rapidamente  ao longo dos próximos anos. Você vai ver a velocidade do vento em tempestades ultrapassando 300 milhas (480 quilômetros) por hora, às vezes.

Deverão acontecerfortes tsunamis e devastação generalizada NAS REGIÕES COSTEIRAS,e emissão de energia solar (CME-Ejeção de Massa Coronal do Sol)que fará  importante fusão e derretimento das calotas de gelo nos polos, e subseqüente aumento drástico no nível do mar, deixando muitas áreas metropolitanas submersas em todo o planeta“. Saiba mais AQUI

Via: https://thoth3126.com.br/o-ciclo-de-atividades-do-sol-esta-mudando/


Veja também:




Categorias:Sem categoria

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: