Natureza alerta: Grande ressaca atinge litoral Sudeste e Sul do Brasil


Em tempos de quarentena, a natureza fez sua parte para forçar as pessoas a ficarem em casa: uma grande ressaca atingiu várias praias do Brasil, chegando a invadir ruas e dificultando o lazer na orla. Mesmo com as medidas de restrição à circulação e ao comércio, calçadões e ciclovias em diversos pontos do país têm ficado relativamente cheios.  Na orla do Rio de Janeiro, policiais militares e bombeiros têm até mesmo alertado banhistas e pedestres de que o uso da praia está proibido devido à pandemia da COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus. Neste sábado (4), porém, caminhar, exercitar-se ou dar um mergulho nesses locais ficou mais difícil. 

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch
Grandes ressacas atingem cidades no litoral Sudeste e Sul do Brasil e a natureza alerta: fiquem em casa
Fontes:  Sputniknews – G1Globo
No Rio de Janeiro, foram registradas ondas de até 3,5 metros. A força do mar foi tanta, que no Leblon, zona sul da cidade, a água invadiu a pista e o calçadão, deixando um rastro de areia e sujeira. ​Em Barra de Guaratiba, na zona oeste, as ondas se chocaram contra casas. 

Segundo a Marinha, a ressaca deve continuar neste domingo (5). Uma forte ondulação atinge a região Sudeste e Sul do país desde sexta-feira (3), em função da passagem de um ciclone extratropical ao sul do Brasil. 

​No litoral catarinense, as ondas fizeram estragos em várias praias, com pistas e calcadões destruídos por causa da força do mar. Algumas casas chegaram a ficar alagadas. Na região da Baixada Santista, no estado de São Paulo, as ondas avançaram por ruas e houve inundação. 

Ressaca atinge o litoral de SP e faz faixas de areia desaparecerem

Praias das cidades da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, foram atingidas por uma ressaca neste sábado, causada devido à chegada de uma frente fria sobre a região. Moradores registraram a alta da maré, que chegou a cobrir as faixas de areia. O estado é de alerta.

Em alguns pontos, as ondas ultrapassaram 2 metros e provocaram inundações na orla da praia de Santos e São Vicente. A previsão para a região é mar agitado e maré elevada até domingo (5), conforme divulgado pelo Núcleo de Pesquisas Hidrodinâmicas na Unisanta (NPH-Unisanta).

Faixa de areia da Ponta da Praia de Santos (SP) ficou totalmente encoberta pelo mar — Foto: G1 Santos

Nesta madrugada, os sensores da Praticagem de São Paulo registraram ondas acima de 3 metros e pico de 4,1 metros na Ilha das Palmas.

Em São Vicente, um morador registrou as ondas na praia do Gonzaguinha, onde a água encobria a faixa de areia e as ondas batiam na contenção. Ainda durante a madrugada, por volta das 3h, houve alagamento na Rua Antonio Rodrigues, no bairro Gonzaguinha, e via teve de ser interditada. Outros pontos da cidade também registraram alagamento, como na Avenida Dom Pedro II, na Cidade Náutica, além da Avenida Augusto Severo, na Vila Nossa Senhora de Fátima.

Mar invadiu o Canto do Tortuga, na Enseada, em Guarujá (SP) — Foto: G1 Santos

Em Santos, o mar invadiu o trecho do calçadão em alguns pontos da orla, como no Canal 4 e, Ponta da Praia, onde também houve alagamento. Desde as 7h, às equipes de raspação e capinação trabalhavam para retirar a areia dos pontos afetados, tanto na avenida, quanto nos jardins da Ponta da Praia. Devido a isso, o trânsito na avenida da orla, pista sentido José menino/Ponta da Praia, ficou interrompido, no período entre à 1h e às 17h.

Ressaca no litoral de Santa Catarina

A passagem de um ciclone provocou ressaca e maré alta, levando estragos ao litoral catarinense na madrugada deste sábado (4) e um novo pico é esperado para o período da tarde. Em Florianópolis, o nível da maré chegou a atingir 1,78 m por volta da 0h35, informou o chefe da Defesa Civil da capital, Luiz Eduardo Machado. Não há registros de feridos no estado.

Segundo a Defesa Civil de Santa Catarina, em Passo de Torres, no Sul, o abastecimento de água foi interrompido porque a maré alta represou do rio Mampituba e, consequentemente, houve a salinização da Sanga Estiva dos Rodrigues, onde ocorre a captação. A Companhia Catarinense de Água e Saneamento (Casan) está tentando normalizar a situação.

Via: https://thoth3126.com.br/natureza-alerta-grande-ressaca-atinge-litoral-sudeste-e-sul-do-brasil/



Categorias:ARQUIVO

Tags:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: